Páginas

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Mamãe vai me dar um irmãozinho!

Para o Pedro...




IRMÃOZINHO
Palavra Cantada


Composição: Luis Pescetti/ versão Zé Tatit

Mamãe vai me dar um irmãozinho
Estou contente
Que bom

Meu pai diz que é ruim ficar sozinho
E tudo que é meu será dos dois
Até a mamãe e o papai de nós dois

Mamãe vai me dar um irmãozinho
Estou contente
Que bom

O nosso apartamento é pequeno
E o meu quarto é pequenininho
Então papai e mamãe me disseram
Dá-se um jeito
Que vale? O que importa? Que o filho já tá quase batendo na porta!
Vai pegar meus brinquedos!

Mamãe vai me dar um irmãozinho
Estou contente
Que bom

Até que é bom ficar sozinho
Não sei porque o papai diz que é ruim
O que é ruim pra ele, é bom pra mim
Perguntei se pelo menos ele vai saber que eu sou sua irmã
Responderam que não... vou ter que esperar...

Mamãe vai me dar uma irmãzinha
Estou contente
Que bom

Papai diz que é ruim ficar sozinho
E tudo que é só meu será dos dois
Até a mamãe e o papai de nós dois

Mamãe vai me dar uma irmãzinha
Estou contente
Que bom

O nosso apartamento é pequeno
E o meu quarto é pequenininho
Então mamãe e papai me disseram
Dá-se um jeito
Que vale? O que importa? O nenê ja tá quase batendo na porta!
Vai pegar meus brinquedos!

Mamãe vai me dar uma irmãzinha
Estou contente
Que bom

Até que é bom ficar sozinho
Não sei porque papai diz que é ruim
O que é ruim pra ele, é bom pra mim
Perguntei se pelo menos ela vai saber que eu sou seu irmão
Responderam que não... vou ter que esperar...

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Como treinar seu dragão - leve seus filhos!

Em toda a vida do Pedro, nunca um desenho chamou mais sua atenção do que o maravilhoso "Como Treinar seu Dragão" (How to Train your Dragon - Dreamworks, 2010).
Desde antes do conhecimento da animação ele já demonstrava uma enorme vontade em ser um dragão; não sei de onde ele tirou essa fantasia...imagino que foi depois que ele assistiu comigo o Jurassic Park II na TV, pois, desde então, todo dinossauro transformou-se em dragão, de acordo com sua pequena e fértil imaginação.
Quando eu soube que sairia em cartaz um desenho sobre dragões...não pensei duas vezes: levei o pequeno para assistí-lo, sem grandes expectativas porque na última vez em que fomos ao cinema, assistir ao UP - Nas Alturas, o Pedrão dormiu!
Mas quem dorme com esse desenho? É muito bom! Colorido, divertido, diálogos claros e inteligentes, traços perfeitos dos humanos, muita cena de ação, muito comovente...todos nós adoramos! Ninguém sequer piscou. Gostamos tanto que fomos hoje novamente, antes que o desenho saísse de cartaz. Resta agora aguardar pelo lançamento em DVD.




Veja o lindo site do filme e leia a crítica no Omelete.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Criando filhos independentes II.

A independência cada vez maior
Dar independência às crianças é difícil -- o tipo de cuidado e atenção que devemos dar a elas é diferente quando elas são bebês e quando têm 3, 7 ou 12 anos, e nem sempre fica tão óbvio o quais tarefas devemos começar a deixar por conta deles.

Mas ninguém quer criar um adulto que traga roupa suja para lavar em nossa casa aos 40 anos de idade e que seja incapaz de se virar e preparar uma refeição simples. Também não queremos criar um adulto totalmente dependente, em termos emocionais, de nós.

Crianças devem crescer, florescer e se tornar independentes sob nossa proteção. Uma planta que fica sempre na sombra de outra acaba se contorcendo e virando para pegar luz, assim como fazem as crianças a quem os pais não dão o espaço e a liberdade suficientes.

Além disso, com tarefas como guardas as coisas, a criança começa a ter senso de organização e asseio, coisas que vão ajudá-la ao longo da vida.

Tranferindo responsabilidades aos poucos
Mais cedo ou mais tarde nós precisamos dar espaço e responsabilidade aos nossos filhos, deixando-os fazer as coisas sozinhos, mas o processo deve ocorrer gradativamente. Se acontecer rápido demais, ou antes da hora, crianças pequenas ficam assustadas com a independência e o efeito é o contrário: elas podem se tornar introvertidas ou se agarrar desesperadamente a você.

Ensine-o a ter opinião própria
- Deixe seu filho ver que você tem opinião: comente quando ouvir alguma bobagem na TV, deixe-o ouvir conversas de adultos.

- Estimule seu filho a falar. Ache uma hora do dia para sentar-se com ele e discutir seu dia. Peça a opinião dele e espere pela resposta. Uma dica: em vez de perguntar "Como foi a escola hoje?", pergunte "Qual foi a coisa mais legal da escola hoje?". A resposta da segunda pergunta é mais promissora que o simples "legal" que você vai ouvir se fizer a primeira.

- Responda quando ele perguntar por quê; explique usando termos simples.

- Se possível, façam as refeições juntos. Ouça sempre que a criança quiser participar da conversa. Nunca caçoe de suas opiniões. O melhor jeito de discordar é dizendo: "É uma opinião/idéia boa/interessante, mas...".

Preparando-o para sair sozinho
- Uma criança pequena, de 1 ano, pode passar um tempinho brincando sozinha no quarto, desde que todos os perigos sejam retirados.

- Aos 2 anos, a criança pode sentar-se à mesa ou no cadeirão e desenhar, enquanto você cozinha, ou brincar aos seus pés enquanto você conversa ao telefone. O segredo é interagir com ela a cada um ou dois minutos, e uma palavra, um sorriso ou um beijo lançado de longe é tudo de que ela precisa.

- Aos 3 anos de idade, seu filho deve caminhar pequenas distâncias com você -- até a banca de jornal ou à lojinha perto de casa, por exemplo. Andar faz bem à saúde e é essencial para aprender segurança nas ruas. Se a criança vir você olhar para os lados ao atravessar a rua, ela também fará o mesmo.

Tarefas domésticas que uma criança de 3 anos pode fazer
- Guardar os brinquedos: faça disso uma brincadeira -- por exemplo, coloque uma música para tocar e brinque de guardar tudo antes de ela acabar.

- Cuidar da roupa suja: aos 3 anos, a criança pode separar as próprias roupas das outras, e as cores claras das escuras. Também pode pôr sua roupa suja no cesto.

- Arrumar a mesa: crianças de 3 anos podem tirar o pó e passar um pano na mesa e no chão se você torcer o pano para elas.

- Assim que ela conseguir segurar objetos pequenos com os dedos e o dedão, no movimento de pinça (em torno dos 6 a 9 meses de idade), deixe a criança comer sozinha sanduichinhos, pedacinhos de banana, cenoura cozida, maçã ralada etc.

- Quando der comida a seu filho, também dê uma colher para ele segurar. Mas levar uma colher de comida do prato para a boca é um negócio complexo e melecado, e leva tempo para ele conseguir. Aos 3 anos já dá para comer sozinho com um garfo de pontas arredondadas, mas ainda é preciso cortar a comida para ele.

- Deixe o bebê segurar o copo ou a mamadeira mesmo que você ajude -- e, aos poucos, passe o controle todo para ele.

- Crianças que praticam ou brincam com coisas que estimulam o uso dos dedos logo aprendem a fazer essas tarefas. Dê a ela um giz de cera grosso e um pedaço de papel para desenhar. Procure brinquedos que estimulem o ato de encaixar, como quebra-cabeças simples.


Ajudando seu filho a se vestir
- Crianças pequenas têm dificuldade em lidar com zíperes, botões, cadarços e ganchos -- escolha roupas com elástico, velcro ou que entrem nela mesmo com zíperes e botões parcialmente fechados.

- Ponha as roupas (sobre a cama, por exemplo) da esquerda para a direita, na ordem em que serão vestidas. Isso não é essencial, mas treina a direção que os olhos devem seguir ao ler.

- Coloque as roupas (sobre a cama, por exemplo) de um jeito que a criança as segure do jeito certo -- calça com a frente para cima (assim ela pode sentar e vesti-la), blusas e vestidos com a frente para baixo.

- Escolha calcinhas ou cuecas com faixas contrastantes na cintura e nas pernas -- isso ajuda a criança a acertar os “buracos” na hora de se vestir. Também dê preferência a meias sem calcanhar marcado.

- Ensine seu filho a colocar primeiro os braços nas blusas e camisetas, antes da cabeça. Evite golas apertadas.

- Ajude a criança a calçar os sapatos, mas deixe que ele os prenda com o velcro sempre que possível. Crianças sentam com os joelhos voltados para fora e tendem a colocar o sapato com o fecho voltado para dentro, onde elas conseguem vê-lo. Por isso elas acabam trocando os sapatos. Fechos centrais evitam isso.

- Ensine "truques" ao seu filho: a etiqueta fica sempre para trás, quase sempre a estampa da camiseta é para a frente, a costura central da calça fica embaixo do umbigo, o desenho ou fecho do sapato fica quase sempre para o lado de fora.

Matéria retirada do site Baby Center.

Criando filhos independentes.

Sempre fui uma pessoa independente. Saí cedo de casa em busca de um sonho e o alcancei com minhs próprias mãos. Passei por muitas situações difíceis mas sobrevivi. Fiquei "calejada" da vida muito cedo; vivi o que muitas pessoas de minha idade não viveram e nem vão viver.
Apesar de tanto sofrimento, dores e decepções... eu cresci! E muito.
Por tudo o que passei, sempre achei que meus futuros filhos deveriam ter também uma certa dose de independência; não necessariamente a que tive mas uma dose equilibrada, sadia, que desse a eles uma visão correta do mundo em que vivemos. Tentar protegê-los e ensiná-los a criarem asas ao mesmo tempo: tarefa árdua, difícil e cheia de emoções.
Quando olho para o Pedro todo independente, querendo fazer tudo sozinho... fico triste por um lado, pois fica aquela sensação de que estou perdendo meu bebê!, mas ao mesmo tempo fico muito feliz por ver meu objetivo sendo cumprido a cada dia.

Como é difícil dar asas aos nossos pequenos!
Como é bom vê-los preparados para o mundo!


Andando na escada rolante...


Pediu para subir no cavalo...


Quis olhar sozinho,sem ajuda...


Empurrou sozinho o carrinho no mercado...


quinta-feira, 8 de abril de 2010

Essas crianças...

Desde que tive meu filho Pedro penso em escrever. Não apenas algo para as mães mas compartilhar com todos as alegrias, sustos, tristezas, emoções e até os momentos de raiva que todos os pais passam com seus filhos.
Cada filho é único, não dá para generalizar. Mas existem coisas que toda criança faz, sem exceções...quem tem filho vai se identificar, quem pensa em ter filhos...vai se surpreender!

Além disso, quem é de Sorocaba e região poderá conferir, aqui, dicas de passeios, programação cultural e outras atividades voltadas para a família, conferidas e recomendadas por mim.