Páginas

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Sequestro de crianças: estamos facilitando para os sequestradores?

Este ano meus meninos começaram a estudar na mesma escola e no mesmo período, daí dispensei a van escolar. Eu mesma tenho levado e buscado os dois, mesmo o Pedro me questionando o porquê ele não pode ir sozinho para a escola já que é tão pertinho. Não. Não vai. Eu levo. Mas, não levo até a esquina, não levo até metade da rua, não levo até o portão...eu estaciono o carro e os levo até dentro da escola e ainda fico observando eles passarem o pátio. 
Sou neurótica? Será?

Bom, semana passada eu levei os meninos e observei todos os outros pais (pais e mães despreocupados, que deixam os flhos onde dá e nem desligam o carro, são a maioria), enquanto um pai, em especial, deixou a filha na calçada e logo virou as costas e atravessou a rua. Neste pequeno espaço entre a calçada e o portão, ela tropeçou e caiu com tudo. Um super tombo. Foi tudo para o chão e ela ralou a mão, joelho etc. Olhei prá trás...cadê o pai? Nem tinha virado o rosto prá ver se a filha tinha MESMO entrado na escola.
Levantei a garota, bati em sua roupa que sujou bastante, limpei sua mãozinha e perguntei se ela queria que eu entrasse na escola com ela prá ela se limpar, se ela estava bem e ela disse obrigada e que não precisava. Olhei para outro pai, que achou que a menina fosse minha e disse 'o pai estava aqui e nem viu a menina caindo'.


Analisei a situação e pensei: se ele achou que fosse minha, estava BEM FÁCIL eu colocar a menina no carro e sumir com ela, com qualquer pretexto que fosse. Ninguém nunca iria saber.

E você? Faz o que pode ou faz um sacrifício? Vale a pena estacionar o carro, ficar 1 minuto a mais ou dar um último tchau?

Neurótica? Será?






quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Mês de aniversário de Sorocaba - SP



Muita coisa interessante no aniversário de 363 anos de Sorocaba, 
cinema de graça é sempre bom!

Nenhum texto alternativo automático disponível.


segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Pai é quem cria...o resto nem conta...



Feliz Dia dos Pais!!

Que todos os pais possam ser o 'super-herói favorito' de seus filhos!


A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

sexta-feira, 3 de março de 2017


quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Balas e pirulitos como recompensa!


Resultado de imagem para balas e pirulitos



Hoje mesmo li uma história no facebook que me intrigou.
Sobre uma menina que engoliu um palito de pirulito. Aliás, não engoliu: ele ficou preso na garganta dela! A mãe da menina conta:

"Sexta feira a noite, Maria Eduarda se queixou de que estava com a boquinha doendo. Eu olhei a boca dela e não vi nada. Como ela continuava ativa como sempre, falante, comilona, e não apresentava quadro de febre ou algo parecido, achei que pudesse ser algum dentinho. No sábado novamente a queixa, mais nada em tom desesperador, novamente olhei a boca dela e não vi nada.
No domingo ela ficou normal. Quando foi ontem na segunda, ela veio correndo desesperada, chorando muito em minha direção, reclamando novamente da boquinha. Mais dessa vez, em tom desesperador. Quando abri a boca dela, e ela vomitou muito em cima de mim, e chorando bastante. Ao abrir a boca dela, vi uma ponta branca, dentro da garganta. Num ato de desespero, puxei de uma vez, com medo que aquilo voltasse para dentro dela.
Quando retirei, tomei o maior susto da minha vida. Ela estava com esse palito de pirulito, dentro dela a dias. Imagino que o vômito, tenha sido uma forma que o organismo dela tenha encontrado, para expelir aquilo fora.
Então me vieram dois alertas:
1 -Eu não compro esse tipo de doce pra ela, e quando ela não está comigo, está com a minha mãe ou na escola (que por sinal, tem o hábito de dar pirulitos para as crianaçs que estão chorando).
2- Nunca ignorar uma queixa de uma criança. Ela como só tem 2 anos e 6 meses, só sabia dizer que era a boquinha. Não sabe ainda o que é garganta.
Enfim, graças a meu bom Deus, nada de pior aconteceu. Mais que fique o alerta para todos que tem criança em casa, principalmente as menores como Duda.
Não dormir a noite, tentando imaginar como ela conseguiu engolir esse palito, isso se não foi o pirulito inteiro!
Um desespero, uma angústia, um remorsos por não ter dado mais atenção as queixas dela de dor.
Deus obg por esse livramento! "


____________________________________________________



Não temos o costume de dar balas, pirulitos, muito menos chiclete para os meninos. 
Acho muito ruim o fato de a gente ir nos lugares e eles 'ganharem' pirulitos e balas...como se fosse um prêmio ou recompensa. 

 Não importa onde: dão em todos os lugares!! 

Se estão comigo eles me consultam se podem chupar a bala ou pirulito já sabendo QUE A MÃE NÃO DEIXA comer esse tipo de coisa sem consulta. 

Infelizmente não tenho controle quando estão fora de casa sem mim. 

Vai o alerta às pessoas que dão balas e pirulitos para outras crianças: dê para os pais, nunca para a criança, afinal você não sabe as regras da casa de cada um e não pode passar por cima de combinados. Isso vale para qquer tipo de alimento porque hoje em dia as crianças têm alergias diversas, restrições, intolerâncias alimentares manifestadas de formas diferentes em cada uma. Se for em lugar público, avise a todos de forma geral, como em igrejas, festas etc., assim os pais ficam cientes de que todos receberão saquinhos de doces e eles mesmos já ficam responsáveis por 'liberar' ou não os doces a seus filhos. 

 #ficaadica

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Calvin

Resultado de imagem para calvin nervoso

Essas crianças...

Desde que tive meu filho Pedro penso em escrever. Não apenas algo para as mães mas compartilhar com todos as alegrias, sustos, tristezas, emoções e até os momentos de raiva que todos os pais passam com seus filhos.
Cada filho é único, não dá para generalizar. Mas existem coisas que toda criança faz, sem exceções...quem tem filho vai se identificar, quem pensa em ter filhos...vai se surpreender!

Além disso, quem é de Sorocaba e região poderá conferir, aqui, dicas de passeios, programação cultural e outras atividades voltadas para a família, conferidas e recomendadas por mim.